quarta-feira, 2 de novembro de 2011

VIII Encontro de Automóveis Antigos de Pernambuco - uma rápida visita


Carros expostos e muitos visitantes circulando em clima de descontração e nostalgia
No post anterior haviamos anunciado o VIII Encontro Pernambucano de Automóveis Antigos em Gravatá. O evento vem crescendo em organização e reconhecimento a cada edição. Fomos este ano pela primeira vez conferir a já badalada exposição. Foi uma visita rápida, chegamos bem no final da tarde do segundo dia. A informação foi de que foram expostos 200 veículos, entre eles motos, caminhões e caminhonetes. Esse número não inclui o considerável  contingente dos que não participaram oficialmente - no estacionamento dos visitantes haviam diversos carros interessantes e em plenas condições de estarem figurando na exposição. Também não faltaram visitantes, o número estimado este ano foi de 3.000 pessoas.

Além de breve, nossa visita não rendeu os melhores registros do que foi a exposição . É que o "fotógrafo" do blog, Douglas, simplesmente esqueceu seu material de trabalho - suas câmeras. Só percebemos quando chegamos ao nosso destino. Foi um pouco frustante, mas, como não adianta chorar o leite derramado... depois de 5.587 resmungos e reclamações minhas em um único discurso (coisa de pai rabujento e filho adolescente dividindo tarefas) , fomos para o pátio onde estavam os carros expostos com Douglas munido do, cada vez mais presente e  indispensável na vida cotidiana, telefone celular. Valendo a máxima de "Quem não tem cão caça com gato", evidentemente o resultado fotográfico não ficou a altura do que a exposição merecia. Vamos ficar devendo um melhor registro no próximo encontro.
O Hotel Portal de Gravatá além de muito bonito oferece espaço bastante adequado para a exposição permitindo confortável circulação dos visitantes. Quem esteve no encontro pode desfrutar de um rico e nostálgico passeio pela história viva do automóvel. Exemplares de origem americana, européia, oriental e nacional de várias décadas para satisfazer os mais variados gostos.  Muitos participantes vieram de estados vizinhos para expor seus carros.  Alagoas, Paraíba e Rio Grande do Norte e Bahia estiveram bem representados, inclusive conquistando algumas premiações.

A cerimônia de escolha e premiação aconteceu na noite do segundo dia em clima dançante ao som de banda, oportunidade em que foram eleitos carros em oito categorias. Perdemos esta parte boa do encontro, mas ficamos sabendo do resultado e alguns detalhes a posteriore, graças a colaboração do Diretor Secretario CAAPE, o José Anchieta Gomes, que nos passou as informações e, também, pelos números dispostos no site da FBVA - Federação Brasileira de Veículos Antigos. De quebra, recebemos quatro fotos de boa qualidade enviadas pelo Anchieta, certamente diminuiu nossa dívida quanto ao registro de imagens.

A comissão julgadora que contou com um representante de cada clube, além do presidente da FBVA, Henrique Thielmann. Elegeu automóveis em oito categorias assim premiadas: 
  • Vintage anos 20: Ford 1929 de Dr. Ênio Barbosa de Alagoas
  • Pós-Vintage anos 30 até a 2ª Guerra: Mercury Conv. 1941 de Dr. Claudio Raposo de Pernambuco
  • Pós Guerra anos 1946 a 1960: Willys Jeep Ster 1950 de Agérico Vaz de Pernambuco
  • Anos 1961 a 1970: VW Karmann Ghia Conv. 1968 de Agérico Vaz de Pernambuco
  • Veículo Nacional até 1981: VW SP2 de Adryano Souza do Rio Grande do Norte
  • Comerciais, utilitários e Pick-ups: Ford 1925 de Dr. Antonio Carvalho de Pernambuco
  • Master Regional FBVA: Lincoln Continental Conversível 1933 do Governo do Estado de Pernambuco.
  • THE BEST: Dodge Charger fastback 1967 de Jorge Cirne da Bahia
No dia seguinte, deixamos o Hotel em que nos hospedamos bem cedo e antes de pegar a bela e bem pavimentada descida de serra em direção ao Recife, estivemos no Museu Sonho de Criança, no centro da cidade. É um museu particular que foi aberto aos visitantes só há alguns meses. O acervo é interessantísimo, modelos de várias décadas representados. Excelente estado de conservação. Inclui um locomóvel, uma locomotiva a vapor, trator, caminhões, camionetas, motonetas, veículos e equipamentos militares, troles de tração animal, além de outros itens diversos como rádios e um projetor de cinema. Foi uma visita gratificante.  Depois partimos com destino a Natal. A razão da pressa? Não queriamos perder a oportunidade de fazer um test-drive no Leaf, carro elétrico da Nissan.

Mesmo com pressa, pudemos curtir um pouco mais do encontro, descemos a serra ao lado de vários carros que estiveram expostos, por vezes ouvindo o ronco saudável e harmônico de alguns dos classicos nacionais com motores V8.  Beleza, Gravatá, aguarde que voltaremos para o  IX Encontro!


FOTOS DO VIII ENCONTRO DE AUTOMÓVEIS ANTIGOS DE PERNAMBUCO

DKW Pracinha, único representante da família 2 Tempos. Nossa primeira parada

  




















  
Lincoln Continental conversível 1933; do Governo do Estado de Pernambuco.
Prêmiado na categoria Nacional Master

Mais um premiado, o Fordinho Modelo A, ano 1929 de antigomobilista de Alagoas.
Premiado na categoria Vintage anos 20.





FOTOS OFICIAIS DO ENCONTRO











FOTOS DO ACERVO DO MUSEU SONHO DE CRIANÇA






















3 comentários:

  1. Show... Tem até um Supermini no museu...

    ResponderExcluir
  2. Eu estive nesse museu, em outubro de 2010. E tinha DKW lá...
    Tinha também um Ford Double Phaeton servindo de choppeira no jirau.
    Em baixo, vários carros militares, inclusive um imenso tanque.
    Estive também, no mesmo dia, visitando outro museu - particular - onde havia, entre outros carros, 3 Pumas DKW, um Uirapuru, uma Romi-Isetta, um Corvette 59, um Simca Jangada, para não falar nas, digamos, raridades mais comuns...

    ResponderExcluir
  3. Fróes,

    Legal saber que já esteve no museu. Pretendo voltar, pois nossa visita foi mesmo breve.
    Para meu alento encontrei um DKW Belcar, único representante da marca no museu, mas não é um dos carros mais conservados do acervo não.
    A chopperia continua lá. Os carros militares também, o tanque ainda é um dos destaques.

    O proprietário está restaurando alguns outros carros e me falou que faz algumas substituíções, mas em geral mantendo os modelos, ou seja substituí o carro por outro em melhor estado. No dia do evento ele estava vendendo um Chevrolet Bel Air, modelo do qual já possuiu varios exemplares em seqüência, mais persiste na busca de um que o agrade inteiramente.

    Abraço

    ResponderExcluir